Caity fala sobre o filme “400 Days” em entrevista

O filme “400 Days” estreou essa semana nos cinemas ao redor do mundo (infelizmente, no Brasil não) e em diversas plataformas digitais disponíveis para compra. Estrelado por Caity Lotz, Brandon Routh, Ben Feldman e Dane Cook, o filme conta a história de 4 astronautas que passam por uma experiência “fictícia” no espaço. O site ScreenRant fez uma entrevista com Caity para dar mais informações sobre o filme e sua personagem, a médica Emily. Confira a tradução completa abaixo:

Aventura espacial de Ridley Scott ”The Martian” pode ter destacado todas as dificuldades de estar preso em Marte e tentado descobrir uma maneira de escapar, mas uma coisa que é bastante encoberto foi o aspecto psicológico de estar preso em alojamentos confinados com um pequeno grupo de pessoas por meses – como é a realidade da vida como um astronauta. Em novo filme do Syfy, 400 Days, escrito e dirigido por Matt Osterman, o título do filme refere-se a um experimento para testar o estresse da viagem através de uma nova fronteira em um grupo de viajantes espaciais em potencial.

A equipe sortuda escolhida para esse experimento são Theo (Brandon Routh), Emily (Caity Lotz), Bug (Ben Feldman) e Dvorak (Dane Cook). Candidatos esperançosos para uma empresa de voo espacial privado com interesse na viagem no espaço sideral, o grupo é enviado para viver por 400 dias em uma instalação subterrânea que é projetada para simular a experiência de uma missão espacial prolongada – com alguns “curveballs” a testar a sua capacidade de resistência e habilidades de enfrentamento.

Lotz, é claro, está bem estabelecida no mundo dos quadirnhos da CW como Canário em Arrow, e está contratada para ter um papel central no spin-off Legends Of Tomorrow. ScreenRant teve a chance de falar com Lotz antes do lançamento de 400 Days para saber mais sobre a experiência de gravar um ficção científica de baixo orçamento, e para perguntar como ela, seu companheiro de Arrow: o ator Brandon Routh, e a estrela do Flash: Tom Cavanagh todos acabaram trabalhando no mesmo filme.

Qual foi o apelo particular deste filme para você? Por que você decidiu que isso era algo que queria estar envolvida?

Caity: Algumas coisas. Quando eu li isso eu apenas pensei que era um filme pequeno tão estranho. E eu amo sci-fi. Sci-fi é um dos meus gêneros favoritos. O filme tem me deixado perguntando um monte de perguntas e pensando muito. Eu também gostei da ideia de trabalhar com um elenco. Eu não cheguei a fazer muito disso antes. Você sabe, como um bom grupo de Ben Feldman, e Dane Cook, e Brandon, é claro, que agora eu estou trabalhando todos os dias.

Você pode me dizer sobre o set da nave? Foi tudo conectado ou vocês tiveram todas as salas tipo separadas?

Caity: Foi tudo muito bem conectado. Isso é como a magia do cinema, como eles fizeram aquela nave parecer ótima na câmera, porque… eu quero dizer, você sabe, em filmes de baixo orçamento você tem que fazer as coisas funcionarem muito… Foi um pouco raquítico e definitivamente… Quando eu vi isso na câmera, eu fiquei tipo, “Como é que eles fizeram isso parecer tão bom?” Então, sim. Mas foi tudo ligado e construído lá. Um monte de IKEA. [Risos]

Parece haver uma espécie de interesse renovado no momento em filmes espaciais. Há ‘Gravity’, e ‘Interstellar’, ‘The Martian’… Você está esperançosa de que isso vai acelerar os programas espaciais na vida real?

Caity: Bem, eu acho, você sabe, é a nova fronteira. De volta ao dia em que a Espanha ou quem quer que seja que enviou exploradores para encontrar novas terras, é o que estamos fazendo hoje. Eu acho que é super emocionante. Eu acho que os seres humanos são naturalmente curiosos. Há apenas algo sobre o espaço que me sinto como laços em nossas origens como seres humanos e de onde viemos. Eu me sinto como um pouco de um aspecto espiritual de tudo isso e como isso se relaciona com a ciência. Eu acho que isso o torna realmente interessante e emocionante para todos.

Você acha que há algo assustador sobre isso também, no entanto, a idéia de deriva no espaço?

Caity: Bem, é definitivamente assustador. Se você estiver indo para o espaço há uma oportunidade de quase 30% que algo catastrófico iria acontecer e você morreria. [Risos] Isso é realmente assustador. E é uma grande incógnita. Nós realmente não sabemos muito sobre ele. Eu acho que seria terrível. É apenas a vastidão disso, vasta escuridão e espaço infinito e perguntas sem fim, o qual eu acho que o torna tão bonito.

Eu sei que Emily desistiu de muito por essa missão. O que você acha que está a motivando para fazer esta missão em particular?

Caity: Emily é uma pessoa muito ambiciosa. E é o sonho dela. O sonho de ir para o espaço. Eu acho que ela quer ser uma exploradora, quer descobrir esse novo mundo. Eu acho que ela está em um ponto onde não deixará nada ficar em seu caminho de fazer o que sente ser sua missão de vida. E ela está disposta a sacrificar coisas como relacionamento para isso.

É interessante como cada astronauta ganha um pequeno presente quanto entra na nave. Por exemplo, a Emily ganha um origami. Se você estivesse presa em uma nave por 400 dias, o que você levaria para ajudar a passar o tempo?

Caity: Oh, Deus. Definitivamente não seria origami para mim. Eu acho que a Emily é muito organizada, o que não é nem um pouco como eu na vida real. O que eu levaria para passar o tempo? Quer dizer… Um filme seria o que eu iria querer. Eu iria querer uma biblioteca infinita de filmes… Ou música. Filmes ou música. Aí eu poderia me alongar, dançar e me sentir bem. Essa seria uma boa maneira de passar o tempo.

Eu tenho que fazer pelo menos uma pergunta sobre Legends of Tomorrow, por que todos nós estamos muitos animados para a série. Eu sei que é sobre viagem no tempo, existe algum período de tempo favorito dos que vocês visitaram na série?

Caity: Eu acho que amo os anos 70. Os anos 70 foram muito divertidos. Mas, tipo, eu também gostaria… Nós ainda não fomos para os anos 20. Eu acho que ir para os loucos anos vinte seria bem divertido. Mas dos que nós já fomos, anos 70.

O que podemos esperar ver da White Canary na série? Que tipo de estado mental ela está nesse momento?

Caity: Ela ainda está lidando com a sede de sangue. É como um efeito colateral de ser ressuscitada pelo Poço do Lázaro. Ela está sempre lutando com o lado ”claro” e o lado escuro. Ela é uma heroína? Ela é uma vilã? Tem bastante disso. E também, um pouco mais de leveza. A White Canary pode se divertir mais.

A primeira coisa que me chamou atenção quando olhei para a lista do elenco foi o fato de ter três atores do universo DC/CW nela. Tem você, Brandon Routh e Tom Cavanagh. Foi um acidente ou vocês fizeram algum tipo de pacto para aparecerem juntos nesse filme?

Caity: Na verdade não. Isso foi antes de Brandon fazer Arrow. Eu lembro que ele estava lá e falou “Hey, como foi trabalhar nessa série? Eu estava pensando em talvez fazer parte” e eu falei “Yeah! Faça isso!” Tom com The Flash, eu lembro de ele falar algo tipo “Oh sim, eu fiz esse piloto, se chama The Flash. Vamos ver. Eu não vou me mudar pra lá nem nada. Eu não sei se vai dar certo” [risos] É claro que agora é uma série enorme. E também tem o Ben Feldman – ele e eu fizemos Mad Men na mesma temporada. Então foi divertido.

Você gostaria de ficar presa em uma nave com esses caras por 400 dias? Você acha que seria divertido ou você acha que daria horrivelmente errado?

Caity: Eu não gostaria de ficar em uma nave por 400 dias com ninguém! [risos] Mas se eu tivesse, sim, não seria tão triste. Brandon é um doce. E Ben e Dane são duas das pessoas mais engraçadas que eu já conheci.