Caity Lotz cede entrevista a Fault Magazine

Caity Lotz realizou um ensaio fotográfico para a revista Fault Magazine em Fevereiro deste ano. Depois de meses, hoje foram liberadas 3 fotos como prévias do ensaio completo e uma entrevista. Confira abaixo a entrevista traduzida.

Início > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > Revistas | Magazines > 2016 > Fault Magazine – Junho 2016

Caity Lotz já usou muitos chapéus em sua carreira como artista. Começando como uma dançarina ela fez turnês com Avril Lavigne, Lady Gaga e apareceu em uma série de clipes musicais de alguns grandes nomes da indústria. Então, Caity juntou-se ao grupo Soccx que aproveitou dois singles no Top 10 na Alemanha. Apesar de todo o sucesso como dançarina e na música, foram suas atuações como Sara Lance nos hits da TV, Arrow e Legends Of Tomorrow, no qual finalmente Caity saiu das sombras e veio à tona.

Nós [Fault Magazine] conversamos Caity para saber mais sobre sua jornada como artista e o que é preciso para interpretar uma assassina nas telas.

F: Quando você percebeu que atuar era seu sonho?
C: Eu não comecei a atuar até que eu tinha 21. Antes disso eu era uma dançarina e cantava em um grupo. Eu nunca me imaginei como atriz ou mesmo ter uma carreira como artista. Ninguém que eu conhecia tinha um trabalho como esse, então eu não sabia que era uma opção. Mas eu apenas segui a emoção, trabalhei duro e acabei sendo muito sortuda porque agora sou paga para fingir ser uma assassina.

F: Os fãs de quadrinhos não são os mais amigáveis. Eles odeiam qualquer interpretação de personagens dos quadrinhos que não correspondem exatamente com o que pensam que deveria acontecer. Isso é uma pressão consciente para você?
C: Sinto-me muito grata por ser abraçada pela comunidade, apesar de toda a minha personagem não ser praticamente nada a ver com os quadrinhos. Não havia Sara Lance e não havia nenhuma “Canário”, somente “Canário Negro” e “Canário Branco”. Nos quadrinhos é totalmente diferente. Apesar que Sara Lance realmente capta a essência de “ser foda” que está no coração dessas personagens de quadrinhos, então espero que isso conte para alguma coisa.

F: Como as suas interações com os fãs vem sendo?
C: Incrível, emocionante e às vezes estranha. Eu sou muito sortuda por ser capaz de viajar por todo o mundo e conhecer os fãs, fico impressionada ao ver como séries como Arrow e LOT são universais. As histórias que as pessoas me contam sobre como eles foram inspirados ou empoderados por conta da minha personagem amolecem meu coração. Um monte de fãs LGBT realmente apreciam Sara representando uma personagem bissexual e eu amo fazer parte disso. As interações com fãs podem ser meio estranhas também. Como quando pessoas te encaram e tiram fotos, mas não vão até você. Me deixa paranoica.

F: Pessoas escrevem sobre você o tempo todo. Blogueiros, twitteiros e revisores. Deve ser difícil não perder o senso de si mesma quando todos tem uma opinião sobre você. Como você se mantém “com os pés no chão”?
C: Eu tenho muitas pessoas boas ao meu redor. Nós todos temos sido melhores amigos por mais de 10 anos e eles não me deixam esquecer quem eu sou. Na verdade, eu acho que sou realmente muito boa em não levar isso pro lado pessoal. Já trabalhei muito (e continuo trabalhando) para aumentar a minha auto-estima e isso é como um colete à prova de balas. Como você aumenta a sua auto-estima? Aceite e abrace quem você é e como é sua aparência. O que é mais fácil de dizer do que fazer, eu sei, mas é possível e a única pessoa que está em seu caminho é você.